Gratis Joomla Templates by Hostmonster Coupon
Erro
  • JFolder: :ficheiros: caminho não é uma pasta. Caminho: /home/cma/public_html/bma/images/atividades/2022_atividades/maio/apresentacao_livro_historias_imagens_hotel_isabel_faria
Aviso
  • There was a problem rendering your image gallery. Please make sure that the folder you are using in the Simple Image Gallery plugin tags exists and contains valid image files. The plugin could not locate the folder: images/atividades/2022_atividades/maio/apresentacao_livro_historias_imagens_hotel_isabel_faria

Apresentação do livro "50 anos - histórias e imagens de um hotel" de Isabel Faria

17 de Junho de 2022, às 21h30
 
A Isabel Faria, de saída de um emprego de quase 40 anos, e aproveitando o 50º aniversário do Hotel onde trabalhou, decidiu escrever um livro que homenageasse os seus colegas, as suas lutas, as suas histórias, os seus sonhos e os seus cansaços.
 
Um hotel como metáfora da vida. Os seus trabalhadores como construtores de uma empresa.
Durante a leitura do livro, os leitores certamente que se irão emocionar, umas vezes, sorrir outras, espantar algumas outras. Encontrar-se-ão com a beleza do nascimento, a anedota de relações complicadas e das traduções enviesadas, e emoção de uma revolução em directo, a angústia da morte. O tal hotel, tal qual como a vida cá de fora

Na apresentação, a Isabel explicará também como todo o seu percurso, nomeadamente este livro, só foi  vivido da forma que o viveu com duas realidades: nasceu em Alpiarça, no tempo da ditadura fascista e o 25 de Abril encontrou-a aos 14 anos.


Biografia

Isabel Faria nasceu em Alpiarça em 1959.

Fez a escola primária nas Faias, a escola das meninas, e os primeiros anos do secundário no Externato São Paulo. O 25 de Abril “apanhou-a” em Santarém no Colégio Santa Margarida. Depois foi para o Liceu de Santarém onde, entre 1974 e 1976, dividiu o seu tempo entre os “Lusíadas” e o “Capital”.
 
As primeiras memórias que guarda de menina, em Alpiarça, são o seu pai a ser preso pela PIDE e a sua mãe a contar os tostões para o pão. Mais tarde, lembra-se de, durante a noite, ouvir passos de botas cardadas na rua, de o seu pai ouvir a Rádio Argel baixinho e de a sua mãe dizer ainda mais baixinho “Oh, João, olha a menina, a ouvir essas coisas. Tem cuidado, homem!”.
 
Os seus pais emigraram para França e ela foi a França nas férias grandes ver o que era não haver Pide e haver cartazes de Partidos Políticos espalhados pelas paredes.
 
Foi para Lisboa viver, já no início da ressaca da Revolução perdida. Foi funcionária de um Partido em part-time, livreira, revisora tipográfica de jornais de Esquerda. Cooperante numa cooperativa. Empregada de balcão e empregada de limpeza.
Em 1983 entrou para o Hotel Sheraton onde ficou até Abril de 2022. No Hotel, foi telefonista, secretária, membro da Comissão de Trabalhadores durante 25 anos e representante de trabalhadores no Comité Europeu da empresa.
 
Ao mesmo tempo, casou, descasou, teve um filho, militou em Partidos e em muitas causas e começou a escrever sobre tudo e sobre nada, em papelinhos, Blogs, redes sociais, jornais e agora meteu-se-lhe na cabeça que devia escrever livros.
 
O filho cresceu, voltou a casar, voltou a viver em Alpiarça e escreve. Escreve sem parar.



{gallery}atividades/2022_atividades/maio/apresentacao_livro_historias_imagens_hotel_isabel_faria{/gallery}
 

 

 

Visitas: 294